eleições contra hackers

Hoje, mais que nunca proteger campanha eleitoral é essencial para que se obtenha sucesso e se evitem problemas dos mais variados. Afinal, em tempos de internet e redes sociais, é fácil encontrar campanhas que são feitas online.

Assim, a maioria dos candidatos, que lida com seus computadores e dados diversos online, precisa aprender um pouco com os vazamentos de informações ocorridos, por exemplo, nas campanhas presidenciais dos Estados Unidos.

Durante a campanha, Hillary Clinton teve sua campanha invadida por hackers, ao mesmo tempo que o presidente eleito, Donald Trump pode estar sendo alvo de chantagens.

Por isso, se você quer saber mais sobre como proteger campanha eleitoral, continue a ler este artigo. Nele nós vamos dar uma solução essencial para você blindar sua campanha política em 2018.

Proteger campanha eleitoral: por que?

Em 2018 acontecerão as eleições para presidente, governador e outros cargos no Brasil. Assim, é impossível deixar de pensar que a internet terá um grande papel nos rumos do que vai acontecer nas urnas.

Por essa razão proteger campanha eleitoral de invasões é, hoje, uma necessidade.

Com isso você poderá evitar problemas de vazamentos de informações, ao mesmo tempo que evitará eventuais chantagens, ou extorsões.

Obviamente, medidas de segurança, como antivírus, firewalls e outros itens, são ainda os meios mais corretos de recorrer à segurança.

Mas é preciso, em algum momento pô-los à prova e saber se o investimento que você fez ao adquirir esses meios de proteção.

Você não quer deixar para descobrir se os seus sistemas de segurança funcionam no momento em que eles forem invadidos, certo?

Se eles funcionarem, que ótimo: você investiu em sistemas de segurança que realmente protegem, mas e se não funcionar?

Para isso é que existe o teste de invasão que irá comprovar que os seus sistemas de segurança realmente protegem os seus dados, os dados de suas campanhas e outras informações importantes.

Como funciona o teste de invasão?

O teste de invasão é, como o próprio nome entrega, uma simulação de invasão real a uma rede, um sistema ou mesmo a uma ferramenta específica.

Através dessa simulação, dados são obtidos e destes dados serão extraídos relatórios que têm como objetivo mostrar as principais vulnerabilidades dos sistemas em questão.

E são vários os testes, que podem ser feitos tanto de forma presencial como remota e também questões como auditores terem ou não acesso às informações sobre a estrutura (definição de teste “caixa branca” ou “caixa preta”).

Ao longo do teste todo e qualquer problema encontrado é repassado ao candidato para garantir que ele esteja ciente deles.

Daí, então, a gravidade das questões apresentadas serão discutidas com o candidato – assim como mecanismos de contorno do problema ou correções.

As atividades, como já foi comentado, serão registradas e detalhadas em relatório – que também contará com a listagem de todas as ferramentas e metodologias utilizadas.

Que métodos serão utilizados no teste de invasão?

Para garantir e proteger campanha eleitoral serão feitos diversos testes e técnicas em diferentes setores afim e descobrir em que áreas que porventura estejam vulneráveis necessitam de reparos.

Dentre os que podemos destacar estão:

Sondagem e mapeamento: que consiste na varredura por hosts ativos, mapeamento de topologia e regras do firewall.

Força Bruta: visa detectar serviços de autenticação ou controle de acesso que estejam vulneráveis.

Análise de tráfego de rede: detecta a possibilidade de identificar informações sensíveis através da manipulação de tráfego.

Avaliação de servidores Web: procura as principais vulnerabilidades em serviços deste tipo.

Identificação e exploração de vulnerabilidades: lançamento e códigos maliciosos que visam a exploração de fraquezas do sistema.

Por isso, se você quer proteger campanha eleitoral nestas eleições, procure por estes serviços!

Saiba mais sobre o serviço de teste de invasão, mande um e-mail para teste@testedeinvasao.com ou acesse o site www.testedeinvasao.com


E aí, gostou do artigo acima? Que tal deixar um comentário abaixo? Não esqueça de compartilhar em suas redes sociais e de marcar seus amigos. Fique de olho em mais novidades e até a próxima!
 

Add new comment

Restricted HTML

  • Allowed HTML tags: <a href hreflang> <em> <strong> <cite> <blockquote cite> <code> <ul type> <ol start type> <li> <dl> <dt> <dd> <h2 id> <h3 id> <h4 id> <h5 id> <h6 id>
  • Lines and paragraphs break automatically.
  • Web page addresses and email addresses turn into links automatically.